Solucionando o bloqueio criativo 2

Todo mundo (ou quase) que gosta de escrever já passou por esse momento. Quando ficamos por horas olhando para o papel em branco (mesmo que seja uma simulação na tela do computador) e ele continua em branco por todo esse tempo. As mãos sobre o teclado batem nas teclas, porém sem pressioná-las; ou a caneta balança entre os dedos, eventualmente rabiscando o canto da folha apenas para ter certeza de que ainda possui tinta — como se você não tivesse testado já várias vezes. Esse é o famoso bloqueio criativo.

Alguns dirão que isso é um mito. Já vi autores dizendo que nunca passaram por essa situação de não saber o que escrever, embora a maioria deles não escrevesse ficção. Se você faz parte deste abençoado grupo seleto que nunca passa por bloqueio criativo, eu te invejo. E você é minoria.

Outros, no entanto, apenas encontraram maneiras para circundar esse problema.  Cada um tem o seu próprio jeito, e é impossível criar uma regra geral que funcione para todos. Caso você ainda não tenha descoberto a sua saída ideal do bloqueio criativo, vou apresentar aqui algumas dicas que encontrei por aí, além da minha própria experiência.

Lâmpada

1. Simplesmente escreva

Sei que isso parece imbecil. Se eu não consigo escrever nada, como vou apenas escrever? Mas o que importa é botar palavras no papel. Mesmo que seja sempre a mesma palavra. Não precisa fazer sentido. Escrever “eu sou um péssimo escritor e nunca vou publicar nada” já é algo positivo, pois você despejou um sentimento seu com a escrita. Aliás, já publiquei aqui um artigo com exatamente este conselho: apenas escreva.

2. Comece pelo meio

Quando você tem alguma ideia, porém não sabe como começar, a solução é simples: não comece. Vá direto ao meio da história, conte aquilo que você já sabe. Quando o texto já estiver escrito, a forma mais concreta te dará uma ideia de como começar.

3. Deixe de molho

Às vezes acontece de você digitar furiosamente seu texto, mas ele chega a certo ponto que você não sabe como continuar (isso ocorre especialmente em trabalhos mais longos). Se isso acontecer, deixe esse trabalho de lado. Esqueça que ele existe. Depois, leia de novo como se nunca tivesse visto antes. Marque as coisas que você quer mudar. Quando chegar ao final, você estará entusiasmado com o texto e saberá quais serão as próximas palavras (dica do Neil Gaiman)

4. Pare quando estiver empolgado

Ernest Hemingway diz que é muito melhor parar no meio de um texto e deixar o resto para o dia seguinte. Quando você estiver fluindo bem e souber exatamente o que escrever a seguir, pare e vá fazer outra coisa. Não pense mais sobre isso. Apenas no dia seguinte, quando voltar a escrever, você pode pensar e deixar fluir mais uma vez. E, novamente, parar na melhor parte, para a inspiração nunca terminar.

5. Escreva de novo

Naquele momento em que nada parece fazer sentido e você não sabe para onde ir, uma alternativa é voltar ao que você fez até então e entender o que há de errado. Orson Scott Card diz que o “bloqueio criativo é minha mente inconsciente dizendo que algo que acabei de escrever não é crível ou não é importante para mim”. Então, é difícil forçar o caminho a seguir e é melhor começar de novo.

6. Dê uma volta

Quando não há solução, é melhor não brigar com sua mente, afinal você precisará dela mais tarde. Deixe-a descansar e trabalhe com seu corpo. Caminhe pelo parque, vá tomar um café ou passear pelo shopping. Não fique encarando o problema sem fazer nada. Hilary Mantel ainda diz que você deve evitar conversar com outras pessoas, nem por telefone, pois as palavras delas preencherão o vazio causado por suas palavras perdidas. “Seja paciente”, ela completa.

7. Cace ideias

Caso o branco seja total, não se sinta intimidado em buscar ideias de outras pessoas para escrever. Fanfic pode ser uma boa alternativa para não te deixar parado. Embora não tenha encontrado nada em português, é fácil encontrar bancos de ideias em inglês conhecidos como writing prompts. Existe até um subreddit específico para isso. Caso o idioma seja um problema, lembre-se que o Google é seu amigo.

Enfim, espero mais uma vez ter ajudado. Essa ideia veio basicamente do bloqueio pelo qual estou passando no momento (descobri como é difícil escrever o meio de uma história). Que esse problema nunca surja para você, mas, se acontecer, este artigo está aqui para ajudar.

2 thoughts on “Solucionando o bloqueio criativo

  1. Pingback: Minha experiência com o NaNoWriMo ← George Marques

  2. Reply Christian jan 9,2015 22:44

    Cara, suas dicas são muito, MUITO boas. Peço até perdão pois já li vários artigos seus por aqui e não comento (só agora mesmo que me forcei a fazê-lo)

    Agradeço de coração suas postagens, são excelentes mesmo.

Deixe uma resposta