Nova coluna: A arte de escrever

Imagino que, para qualquer tipo de arte, a de escrever inclusa, três fatores são importantes: vocação, talento e habilidade. Vocação é inata e sinto muito se você não a possui (embora você provavelmente nem se interessasse pelo assunto se não a tivesse, já que a vocação é o que torna uma atividade agradável) e ela diz respeito, nesse caso, à capacidade que você tem de criar coisas com esta ferramenta. O talento – que defino como “a facilidade em dominar os tópicos de uma determinada área”, neste contexto a escrita – vem de nascença também, mas é algo opcional, que pode ser compensado com esforço. Já a habilidade, como a facilidade em produzir de fato, é algo que qualquer pode adquirir de uma mesma forma: com estudo e prática.

Vocação e talento são coisas que não posso conceder. O mesmo vale para habilidade, porém eu posso dar as direções de como consegui-la. Não me entendam mal: eu não sou nenhum profissional (ainda), só que já tenho conhecimento de certo conteúdo na área (e também um pouco de habilidade em si), que pode ser muito obscuro para iniciantes – especialmente em português. Quando se sabe cálculo diferencial, por exemplo, a multiplicação é uma operação trivial, porém para alguém que ainda a está aprendendo, parece algo muito complicado.

Máquina de escrever

Por isso pretendo (por sugestão do meu amigo Dalleck) postar aqui algumas dicas sobre a arte de escrever, para que os principiantes possam entender como os grandes autores fazem as coisas. Naturalmente, escritores são ávidos leitores, mas consumir o produto final não dá nenhuma dica óbvia sobre como produzir um original. Para o leitor, o processo de criação é um total mistério, e não raramente diferentes textos, às vezes até semelhantes entre si, foram construídos de maneiras totalmente opostas.

Apenas recentemente resolvi mergulhar fundo nesse meio e estou ainda aprendendo muitas coisas, o que não me impede de ensinar aquilo que já sei. Andei pesquisando bastante e acho muito difícil encontrar conteúdo em português. Para aqueles não versados na língua inglesa, que possui vasto conteúdo sobre qualquer assunto, aqui vale como um ponto de convergência, contendo ideias que captei de outras fontes (em alguns casos de outros idiomas traduzidos para o inglês).

Enfim, este aqui é o início de uma coluna aqui em meu blog pessoal, sobre um assunto que, naturalmente, me interessa pessoalmente, além da alguns de meus amigos. Aceito, como sempre, sugestões, críticas, elogios, correções e opiniões pertinentes. Postarei dicas todas as semanas (se der certo, toda sexta-feira) e, se houver oportunidade, outros escritores, profissionais ou não, também terão algum espaço aqui. Até breve!

Deixe uma resposta