Em busca do fusível perdido 6

Hoje minha irmã fez o favor de ligar o ferro de passar no filtro de linha que uso para ligar o computador (e o modem e o roteador wireless). Advinha o que acontece quando passa uma corrente elétrica de dez àmperes em um fusível de cinco àmperes. Sim, ele queima.
O reserva já tinho ido pro saco (de lixo) quando se espatifou só de eu pegar para ver se estava inteiro (e depois eu vi que o filtro estava fora da tomada ¬¬’ ). E sabia que não havia fusível em casa que não estivesse em uso. Então, ou eu saía pra comprar um, ou ficaria sem internet. Como a segunda opção é totalmente inviável, fui tomar sol nesse calor infernal que está fazendo hoje.
Só havia um único problema: não tinha a menor ideia de onde comprar um fusível.
Pensei em ir num depósito de material de construção aqui perto de casa, mas tinha certeza que não teria lá. Perguntar não custa nada, então resolvi dar uma passada por lá. Obviamente não tinham mesmo. “Lá vou eu dar uma volta pelo centro do bairro”, pensei.
Não é longe, mas ainda não tinha ideia exata de onde ir. “Talvez uma loja de eletrônica…”. A loja mais próxima que eu conhecia ficava longe demais para minha coragem. Fiz uma busca no cérebro, porém minha memória não tem nenhuma associação de lojas com a palavra “fusível”. A única coisa que me veio à mente foi “Santa Efigênia” que fica milhões de vezes mais longe que a loja de que lembrava.
Não tinha jeito, teria que dar umas voltas por aqui e achar algum lugar que vendesse um simples fusível.
Andei e andei e andei. Estava difícil. Se estivesse procurando por roupas, calçados, óculos, móveis, cadernos ou bancos, não teria nenhuma dificuldade. Passei inclusive por duas lojas de instrumentos musicais, algo não muito comum. E nada de um lugar que vendesse fusíveis.
Lembrei de um depósito grande que tem por aqui, lá deveria ter o que procurava. Provalmente tem, mas naquele momento estava fechado. “Hell!”, pensei.
Achei que teria que ir no bairro vizinho, que possui uma “zona” comercial maior, embora seja provavelmente, em sua maioria, lojas de roupas. Mas no caminho talvez encontrasse algum lugar (inclusive aquela loja de eletrônica). Só que em São Paulo, o bairro vizinho fica longe, ainda mais para um pobre pedestre como eu (e num calor escaldante).
Olhando cautelosamente para os pontos de comércio ao lado, e também para a frente para não esbarrar em ninguém e em nada, encontrei uma assistência técnica. “Por que não pensei nisso antes?”, na verdade eu sabia a resposta, mas deixa pra lá. Quando me aproximei percebi que eles consertavam ferramentas elétricas e já pressenti que não teriam o bendito fusível. E acertei.
Pesquisei no cérebro novamente, agora por “assistência técnica” e encontrei uns dois ou três resultados. Dei meia volta e segui para onde acreditava haver lojas desse tipo.
A preguiça, e a sede, estavam me atacando e por um momento pensei em desistir. Mas como voltaria pra casa e encararia meus familiares sem conquistar meu objetivo? Ainda mais agora com essa nova pista? Na verdade só pensava na minha internet.
No primeiro lugar em que pensei, estava errado. Havia uma loja de informática e acreditei erroneamente que eles poderiam ter o que prourava. Antes de sair, quase na porta, o atentendente me disse: “no ****” (sem propaganda gratuita), estava se referindo àquele depósito que já sabia estar fechado. Fingi que não escutei.
Segunda opção. Pensei que havia assistência técnica lá. Na verdade, houve. Agora não tinha nada parecido. 
Dei uma volta por ali, pois não lembrava exatamente onde ficava a terceira. E lá vou eu de novo andando por uma avenida, mas agora para o sentido contrário. Andando e observando por um certo tempo, encontrei um assistência técnica de televisores. Isso eu sabia que tinha fusível, pois já troquei de um aqui de casa.
Atravessei a rua. Tinha um homem sentado à porta, mas quando eu entrei não pareceu se importar. “Ou é um péssimo atendente ou simplesmente não trabalha aqui”. Felizmente (para ele) era a segunda opção. Porém não havia ninguém lá para atender, pensei que poderia estar nos fundos da pequena loja. Pisei ruidosamente, tossi e bati, não com muita força, no balcão de madeira. A voz não é meu forte. Passou um tempo e um senhor veio me atender.
“Pois não?”, ele disse. Mostrei o pequeno container de vidro com um fio rompido dentro e pergunte se ele tinha um desses. Ele colocou os óculos pendurados no pescoço e observou friamente o dispositivo. “5 àmperes”, ele disse, me devolveu o bendito e foi em direção ao outro lado do balcão. Abriu uma gaveta com diversos compartimentos. Minha ansiedade já estava me matando. Ele pegou um e observou com a mesma frieza. Pegou outro e parecia comparar. Então ele deixou sobre o balcão e finalmente pronunciou: “cinquenta centavos”. “Eu quero dois”, pois sabia que era melhor ter um reserva, não queria ter de voltar lá tão cedo.
Ele me alertou que era um dispositivo de proteção e que se queimasse novamente eu teria que olhar o problema. Assenti, mas não falei nada, pois sabia que o problema era minha irmã e ela já deve ter aprendido que ferro de passar e filtro de linha não combinam. Além disso, não queria muita conversa e estava ansioso para voltar. Me parecia que o senhor da loja não iria se importar.
Finalmente voltei pra casa, triunfante. Bebi alguns litros d’água, peguei a chave de fenda e inseri os fusíveis (já tem um espaço para o reserva) no filtro de linha e o liguei. Coloquei uma roupa mais confortável (embora desse vontade de ficar sem roupa, por causa desse calorzão todo), sentei na cama e comecei a escrever este post.

6 thoughts on “Em busca do fusível perdido

  1. Reply Dalleck jan 13,2009 17:35

    Muito grande, nem li =P

    Zueira xD Mas porque não perguntou logo em qualquer loja onde poderia ter? Além daquela fechada xD

    E nem tá tão quente, haushuahusha

  2. Reply Aline jan 14,2009 16:56

    Eu já logo chamaria pelo óbvio: “Paaaaaaaaiiiiii!”.

  3. Reply Barbarella jan 17,2009 15:25

    Achei muito legal o erro da sua irmã, assim ficamos com esse post… Fala obrigado pra sua irmã, nós gostamos quando o vnem coloca um postinho novo…

    Tomara que agora ela faça alguma coisa de errado de novo e queime algo como sua guitarra…hahaha

    bjos

  4. Reply George Marques jan 17,2009 19:59

    Pô Barb, nem brinca com essas coisas xP

  5. Reply Barbarella jan 17,2009 23:25

    Oi de novo, passa de novo no barba que deixei um selinho lá pra você.

    É. Eu sei. Depois de 30 horas de postar, eu lembro que ia colocar mais um selinho.

    Sou eu, a Barbarella, lembra? rsrs

    **

  6. Reply Dalleck jan 18,2009 19:48

    Se a guitarra do “Vêneim” queimar, eu vou queimar seu PC, Barba! ahuehaueha brincadeira… mas é que a guitarra dele é importante pra banda… se ele tocasse baixo, nem iria fazer diferença mesmo xP

Deixe uma resposta