Os cinco grandes erros sobre o BBB 2

Como todos devem perceber, o Big Brother Brasil, aparentemente, faz muito sucesso. As razões para isso estão implícitas no interior profundo e obscuro do psicológico comportamental do brasileiro típico, o que não vem ao caso no momento. Porém, como seria natural, algumas coisas fogem ao conhecimento – ou simplesmente ao bom senso – da maioria das pessoas – em especial dos fãs do BBB. Assim, vou enumerar e esclarecer, a seguir, cinco desvios a respeito deste reality show que acho coerente comentar.
1. Assistir o BBB é divertido.
Não, não é. Assistir TV, em geral, não é divertido. Mas, em alguns casos, ela realmente consegue nos prender a atenção e nos divertir de verdade. E isso também não vem ao caso. A questão é que participar do Big Brother deve ser extremamente divertido – com todas aquelas festas, bebidas e mulheres gostosas (ou nem tanto assim). Contudo, assistir aquele povo, que foi selecionado a dedo, fazendo tudo isso não traz nenhuma diversão – ao menos não a meu ver – para o espectador. Esse, de fato, é o maior erro e exatamente aquele que torna o BBB tão popular.
2. BBB não é novela.
Posso exemplificar com minha mãe, uma noveleira de velhos tempos – que diz sempre que vai parar de ver quando acabar a novela atual, mas sempre assiste a seguinte – que não gosta do BBB. Ela simplesmente diz que não vê graça nenhuma em ver o povo da casa fazendo seja lá o que fazem. Mas, como pode achar graça nas mesmas relações quando estão presentes num roteiro bem especificado escrito por um autor famoso? Além do mais, tenho minhas dúvidas se o programa também não tem algum tipo de roteiro.
3. Os participantes são “Big Brothers” (ou “Big Sisters (sic)”) .
Esta realmente é uma grande confusão. O termo “Big Brother“, que deu origem ao nome do programa, foi cunhado por George Orwell (pseudônimo de Eric Arthur Blair) no livro “1984” e é o nome de um personagem – um ditador – que vigiava todos os cidadãos (através de telas) para controlar seus atos. Consequentemente, em relação ao reality show, Big Brother, na verdade, é quem vigia os participantes do programa – no caso os telespectadores – e não os próprios participantes.
4. O BBB é uma análise de comportamento.
Que tipo de experiência psicológica é esta que joga uma dúzia de pessoas dentro de uma casa que mais parece uma colônia de férias para analisar o comportamento delas? E que método científico é este que deixa esta casa cercada de câmeras – inclusive no banheiro – e microfones para que todos os cidadãos do Brasil possam acompanhar – e podem fazer isso mais profundamente caso paguem uma quantia apropriada pelo pay-per-view – e decidir o futuro dos participantes? E por que, no fim das contas, eles lutam entre si – no
sentido figurado (mais ou menos) – para continuar na casa e assim conseguir ganhar um prêmio milionário? Bom, e mesmo que realmente fosse, por que não há nenhum resultado publicado em revistas científicas pelos idealizadores do programa, mesmo ao chegar na décima edição? Explicar as coisas com perguntas retóricas deixa tudo muito concreto, já que você mesmo é quem chega à conclusão.
5. Os textos do Bial salvam o programa.
Pedro Bial pode até ser um excelente poeta e escrever muito bem (percebam que isto não é afirmativo e tampouco negativo). Ele consegue falar muito sem dizer nada, algo importante para o programa, já que ele tem que dizer sempre a mesma coisa, e ele realmente faz isso muito bem. Mas, fora de contexto, mesmo o melhor orador do mundo não salvaria a coisa toda. E este é justamente o ponto: o BBB em si é o problema, nem trezentos melhores do que o Bial iriam salvar o programa, porque estariam fora do contexto.
Quero lembrar a todos que, como era de se esperar, isto é apenas a minha opinião e muitos poderão discordar – assim como muitos poderão concordar. Os cinco erros aqui representados são arbitrários, posso ter falado alguma besteira – algo realmente muito provável, já que eu não pesquisei muita coisa – e talvez hajam pontos ainda mais importantes a serem discutidos. Mas este é, justamente, um lugar de opinião, assim este texto provavelmente não terá seu conteúdo alterado, apesar de abrir margem a uma, não impedida neste momento, discussão.

2 thoughts on “Os cinco grandes erros sobre o BBB

  1. Reply Dalleck mar 24,2010 0:21

    Concordo. Mas acho que o problema é mais complexo, faz parte da (falta de) cultura de quem assiste o programa. Normalmente está associado a outros comportamentos, que são comuns entre os que assistem BBB.

  2. Reply Marina mar 24,2010 1:26

    Assistir BBB nem é o problema. O pior é comentar BBB como se esse fosse o único assunto que existe no mundo. E sair falando dos participantes como se eles fossem amigos íntimos.

Deixe uma resposta