Amnésia – Capítulo 2 1

>    Capítulo Anterior
=======================================
— Sentem-se. E me digam qual é o problema. – disse a mulher sentada atrás da mesa.
Senti uma luz de esperança e respondi, ligeiramente exaltado:
— Você pode me ajudar?
— Provavelmente. Por favor, fiquem à vontade e sentem-se.
Minha mãe e eu nos sentamos e a mulher começou a perguntar:
— Então, qual o seu problema?
— Eh… – olhei pro lado e vi o olhar incentivador de minha mãe – Eu perdi a memória.
— Certo… Vou te fazer algumas perguntas.
— Tudo bem.
— Qual a última coisa de que se lembra?
— De agora pouco, quando acordei.
— Quem é essa senhora ao seu lado?
— Minha mãe.
— Você se lembrou disso?
— Só depois que ela me disse.
Hmm… E você sabe onde está agora?
— Minha mãe disse que íamos para o hospital. Então, acho que é aqui.
— Você sabe quem sou eu?
— Não. Mas acredito que possa me ajudar.
— Bom, eu sou uma psiquiatra, sou especialista em patologias mentais. Você possui algum tipo de amnésia retrógrada. A senhora sabe se ele já apresentou algum distúrbio deste tipo?
— Não, nunca vi nada parecido. Pra mim é só uma brincadeira de mau gosto. – minha mãe respondeu.
Senti que o ceticismo dela não era uma novidade.
— Aparentemente não é nenhuma brincadeira. Vou pedir alguns exames para confirmar e tentar descobrir as causas. Enquanto isso, é bom que você tente continuar sua vida normal, isto pode te ajudar a lembrar. Sua mãe pode te auxiliar. Assim que tiver os resultados dos exames nós conversaremos novamente. Mas sinta-se à vontade em falar comigo se tiver alguma pergunta ou se sentir que pode se lembrar de algo.
— Isso vai realmente me ajudar?
— Sim, a partir disso poderemos encontrar um tratamento adequado.
— Muito obrigado.
— Vamos filho. É melhor você descansar um pouco. Obrigada doutora.
Me senti mais tranquilo e comecei a me acostumar com a situação. Talvez eu realmente possa me lembrar.
Então voltamos para casa.

One comment on “Amnésia – Capítulo 2

  1. Reply Dalleck out 28,2008 22:14

    Previously on Amnésia… XD

Deixe uma resposta